Search
A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

8 maneiras de proteger seus aplicativos de banco

Sumário

3 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...

 

Foto: wk1003mike – shutterstock

 

Resumo – Veja maneiras de tornar mais robusta a segurança de seu aparelho celular para evitar perdas relevantes de dinheiro em casos de roubos, furtos e assaltos.

 

A adoção da prática de transferências de recursos por meio de dispositivos eletrônicos tem possibilitado ganhos enormes de eficiência e praticidade para uma grande parcela da população, isso é fato.

Por outro lado, os benefícios que obtemos com a melhoria da experiência de transferências de valores entre diferentes pessoas pode nem sempre vir acompanhada de um aumento da segurança na realização desta prática. 

Como você deve saber, os casos de furtos e roubos de celulares estão em alta novamente e, com a possibilidade de extorsão de grandes valores no horizonte de criminosos, devemos redobrar nossos cuidados de prevenção para evitarmos perdas significativas.

Indo logo ao que interessa,a equipe ahoradodinheiro separou dicas importantíssimas para que você diminua os riscos de perdas relevantes de patrimônio em casos de assaltos que, infelizmente, ainda ocorrem com uma frequência assustadora em nosso país.

 

Como deixar seu celular mais protegido?

 

Quando você tem o celular roubado, começa uma corrida contra o tempo. É o que dizem os especialistas em segurança cibernética. 

A partir deste momento, quem conseguir agir de maneira mais ágil vence a disputa, seja o usuário ou o criminoso.

Assim, veja, abaixo, 10 dicas para proteger seus aplicativos.

 

1) Determine um bloqueio automático de tela

 

Com essa funcionalidade, é possível reduzir danos nos casos em que criminosos pedem para a vítima desbloquear o aparelho celular e fogem com o dispositivo.

Com essa medida, cria-se uma primeira camada de segurança, por exemplo, caso o tempo de inatividade programado para bloquear automaticamente a tela do aparelho seja de 30 segundos.

Desse modo, na eventualidade de os criminosos estiverem fugindo com o aparelho desbloqueado, eles podem se deparar com uma triste surpresa – para eles – e feliz para você, se o bloqueio funcionar enquanto eles estiverem correndo para um local mais escondido.

 

2) Descubra o seu Número IMEI 

 

Você vai precisar dele para bloquear o aparelho e para registrar o Boletim de Ocorrência.

O IMEI é o número de identificação do aparelho que estabelece o vínculo formal com o seu nome.

No caso de roubo, você deve solicitar à sua operadora o bloqueio de seu dispositivo. Com isso, ele não terá mais conexão com internet e nem conseguirá fazer ligações telefônicas.

Para descobrir o seu IMEI, basta digitar *#06#

 

3) Utilize os aplicativos “cofres”

 

Outra maneira de você ganhar tempo após a perda de seu aparelho é com o uso dos chamados “aplicativos cofres”.

Com eles, você coloca mais um obstáculo temporal à atuação dos criminosos, tornando mais demorada a busca por seus aplicativos de banco, mesmo que eles tenham conhecimento em tecnologia.

Como funcionam estes aplicativos? Assim como uma pasta, você coloca seus aplicativos nela, mas vai ser requisitada uma senha para seu acesso.

Esta atitude pode ajudar você no caso de os ladrões conseguirem manter o aparelho desbloqueado após a fuga, possibilitando que você tenha mais tempo de comunicar o banco e a operadora de telefone sobre o ocorrido.

 

4) Tenha senhas e padrões de desbloqueio diferentes entre si.

 

Essa atitude é autoexplicativa: se você tiver apenas um padrão (ou senha) para desbloquear os seus aplicativos, fica mais fácil a atuação dos criminosos.

 

5) Deixe separada uma conta de e-mail apenas para casos de recuperação de senhas

 

Além disso, essa conta de e-mail não pode estar logada no celular.

 

6) Evite o uso de mecanismos de reconhecimento facial e de impressões digitais

 

Especialistas em segurança cibernética são enfáticos ao dizer que essas ferramentas apresentam “brechas” e vulnerabilidades.

 

7) Procure sempre usar a autenticação de múltiplos fatores

 

Também chamada de “autenticação em duas etapas”, consiste no uso de mais de um canal para a confirmação da identidade do usuário. Estes canais costumam ser mensagens SMS, e-mail ou ligação telefônica.

 

8) Habilite a localização remota de seu aparelho

 

Com o eSIM (cartão sim eletrônico), você consegue localizar seu dispositivo e ainda, caso o aparelho tenha bateria suficiente, bloquear o acesso ou até mesmo excluir dados de maneira remota.

 

Esperamos que você consiga aplicar estas medidas para aumentar a segurança do seu aparelho. Caso tenha alguma dúvida ou questionamento, estamos à disposição!

 

Fontes

 

Valor Econômico

einvestidor.estadao

625 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *