Search
A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

Em quais setores você pode investir na bolsa?

Sumário

4 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...
Andrii Yalanskyi - dreamstime

Resumo – Veja os principais setores de investimento de renda variável através da compra de ações de empresas, suas características e particularidades.

 

Um setor na bolsa de valores é um conjunto de ações que compartilham características semelhantes, geralmente por estarem inseridas em indústrias relacionadas. 

De acordo com o Global Industry Classification Standard (GICS), que é o sistema de classificação mais utilizado, existem 11 setores distintos no mercado de ações. 

A categorização dos ativos em setores facilita a comparação entre empresas que possuem modelos de negócios similares, além de permitir uma análise mais simplificada sobre quais ações estão obtendo maior lucratividade.

Conhecer os setores disponíveis na bolsa brasileira é fundamental para uma estratégia de investimento sólida e diversificada. Neste texto, apresentaremos uma breve descrição dos principais setores presentes no mercado de ações brasileiro.


1. Setor Financeiro

 

O setor financeiro é um dos mais relevantes na bolsa brasileira. Ele abrange empresas cujas atividades estão principalmente relacionadas ao gerenciamento de dinheiro

Os bancos desempenham um papel fundamental nessa indústria, mas também é possível encontrar companhias de seguros, corretoras, provedores de financiamento ao consumidor e fundos de investimento imobiliário especializados em hipotecas, entre outros serviços financeiros.


2. Setor de Energia

 

O setor de energia é outro segmento essencial na bolsa brasileira. 

Ele engloba empresas que operam na indústria do petróleo e gás natural. Inclui empresas envolvidas na exploração e produção de petróleo e gás, bem como produtores de outros combustíveis consumíveis, como carvão e etanol. 

O setor de energia também abrange negócios relacionados que fornecem equipamentos, materiais e serviços para os produtores de petróleo e gás. 

No entanto, é interessante observar que não inclui muitas empresas de energia renovável, que são classificadas como utilidades públicas.


3. Setor de Telecomunicações

 

O setor de telecomunicações engloba empresas de telefonia fixa e móvel, provedores de internet e empresas de tecnologia de comunicação. 

Com o constante avanço da tecnologia e a crescente demanda por conectividade, investir em empresas de telecomunicações pode ser uma opção atraente para os investidores.


4. Setor de Consumo

 

O setor de consumo abrange empresas que produzem bens de consumo não duráveis, bens duráveis e serviços voltados para o consumidor final. 

Este setor é subdividido em: consumo cíclico e consumo não-cíclico.

Empresas de alimentos e bebidas costumam fazer parte da primeira subdivisão, enquanto companhias de vestuário, varejo e entretenimento fazem parte desse segundo nicho. 

Acompanhe nosso canal no youtube

5. Setor de Tecnologia

 

O setor de tecnologia tem ganhado destaque na bolsa brasileira, com empresas que atuam em software, hardware, serviços de tecnologia e outras áreas relacionadas. 

Com a crescente digitalização e a demanda por soluções tecnológicas, investir em empresas de tecnologia pode oferecer oportunidades de crescimento significativas.


6. Materiais básicos

 

O setor de materiais engloba empresas que oferecem uma variedade de produtos destinados à fabricação e outras aplicações. 

Dentro desse setor, é possível encontrar fabricantes de produtos químicos, materiais de construção, contêineres e embalagens, bem como empresas de mineração e aquelas especializadas na produção de papel e produtos florestais.


7. Bens industriais



O setor industrial compreende uma ampla variedade de negócios distintos que normalmente envolvem a utilização de equipamentos pesados

Dentro desse setor, encontram-se empresas de transporte, como companhias aéreas, ferrovias e empresas de logística, além de empresas das indústrias aeroespacial, de defesa, construção e engenharia. 

Empresas envolvidas na fabricação de produtos de construção, equipamentos elétricos, máquinas e diversos conglomerados também são classificadas nesse setor.



8. Saúde

 

O setor de saúde é composto por dois elementos principais. 

Um deles engloba empresas que se dedicam ao desenvolvimento de produtos farmacêuticos e tratamentos baseados em biotecnologia, além de fornecer as ferramentas analíticas e suprimentos necessários para os ensaios clínicos que testam esses tratamentos. 

O outro componente abrange equipamentos e serviços de saúde, incluindo suprimentos cirúrgicos, ferramentas de diagnóstico médico e seguros de saúde.


9. Imobiliário

 

O setor imobiliário abrange geralmente dois tipos distintos de investimentos relacionados ao mercado imobiliário. 

Algumas ações desse setor estão relacionadas ao desenvolvimento de novos projetos imobiliários e à gestão dos mesmos, incluindo a busca de inquilinos para os diferentes espaços dentro dessas propriedades. 

Além disso, a maioria dos fundos de investimento imobiliário, que são entidades empresariais com benefícios fiscais e atuam em diversas áreas do mercado imobiliário, são classificados dentro do setor imobiliário.



10. Utilidade pública



O setor de utilidades abrange praticamente todos os tipos de empresas de serviços essenciais para a sobrevivência, como água, gás e energia. 

Dentro deste setor, encontram-se concessionárias especializadas em fornecer energia elétrica a clientes residenciais e comerciais. 

Outras concessionárias têm a responsabilidade de fornecer água aos clientes. Algumas empresas de serviços públicos atuam em mais de uma dessas subespecialidades. 

Além disso, produtores independentes de energia e de energia renovável também fazem parte do setor de utilidades, embora não sejam exatamente semelhantes às utilidades tradicionais.

 

Por João Victorino

João Victorino é administrador de empresas e especialista em finanças pessoais. Formado em Administração de Empresas e com MBA pela FIA - USP. Executivo em empresas multinacionais nas áreas de desenvolvimento de negócios, marketing e estratégia. Possui ampla experiência no empreendedorismo e hoje divide esses aprendizados. Para isso, o especialista criou e lidera o canal A hora do dinheiro , com conteúdo gratuito e uma linguagem simples, objetiva e inclusiva.

Você também pode se interessar:

311 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *