Search
A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

O Agro é o nosso orgulho econômico e também tem oportunidades para você

Sumário

5 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...
Dreamstime - lightfieldstudioprod

Resumo– O ramo de agropecuária no Brasil tem apresentado crescimento vertiginoso há décadas. Veja onde investir neste setor.

 

O Brasil é uma potência em termos de produção de alimentos, seja na agricultura ou na pecuária. Somos um dos maiores produtores em vários tipos de culturas. 

Temos um desenvolvimento tecnológico nesse segmento que é exemplo para o mundo, além de condições naturais invejáveis. A participação do setor no total do PIB do país chegou a 24,8% em 2022.

 

Os segredos do sucesso

 

A produtividade dos produtos agrícolas, o tipo de solo, o clima e a habilidade do nosso empresário, seja ele grande, médio ou de agricultura familiar, fez com que avançássemos em novas fronteiras agrícolas em um país imenso como o nosso, o que explica grande parte do sucesso e da evolução desses setores.

E se o agribusiness (ou agricultura e pecuária, como se falava antigamente) são tão importantes e tem crescido tanto, de que forma uma pessoa comum, como eu e você, poderia também ser parte desse sucesso? De que maneira poderíamos estar nos beneficiando desse segmento, investindo também nesse sucesso mundial?

Se a pessoa não vai se aventurar a comprar ou alugar um grande pedaço de terra no nosso maravilhoso país e se dedicar a comprar sementes, alugar máquinas, trabalhar na chuva e no sol, existem opções onde a pessoa pode investir no setor. 

 

Os riscos e desafios naturais do setor

 

Quem está na fazenda e no interior tem vários riscos, além da dificuldade da execução do trabalho. Este, por sua vez, leva anos de preparação, melhorias técnicas e pode ser totalmente perdido apenas numa seca, geada ou praga biológica.

No caso da pecuária, há o risco de se perder animais do rebanho por conta de uma doença, temperaturas extremas (como aconteceu recentemente no Mato Grosso do Sul, com mais de mil bois e vacas morrendo de hipotermia em junho deste ano).

Não que você não terá riscos, isso sempre existe em investimentos, mas existem opções interessantes para quem gosta, se interessa e deseja diversificar ainda mais sua carteira, se associando ao nosso segmento de mais sucesso econômico no país.

Existem algumas opções à disposição e algumas novas alternativas. Vejamos.

 

Ações de empresas e fundos de investimento no setor agrícola

 

Ações de empresas agro

 

Existem várias empresas do setor que tem capital aberto na bolsa e, portanto, você pode comprar sua ação diretamente.

As principais ações do agronegócio listadas na Bolsa são de empresas como: 

      • Brasil Agro; 
      • Agrogalaxy; 
      • Kepler Weber; 
      • Raízen; 
      • SLC Agrícola; 
      • São Martinho; 
      • Boa Safra; 
      • Três Tentos. 

Já entre as empresas de alimentos, destacam-se: 

      • JBS; 
      • M.Dias Branco; 
      • Camil; 
      • Josapar; 
      • Marfrig; 
      • BRF. 

Para se ter uma ideia, algumas dessas empresas tiveram desempenho acima de 3.200% do CDI nos últimos 3 meses (considerando o período de 28/03 a 28/06 de 2023).

Veja os melhores desempenhos no setor, em termos absolutos, no mesmo período: Raízen (98%); M. Dias Branco (69%); São Martinho (49%); BRF (45%); SLC Agrícola (30%).

Acompanhe nosso canal no youtube

Fundos de Investimento em cadeias agroindustriais – Fiagros

 

Além da possibilidade de se investir diretamente nas empresas do agronegócio, você também pode investir no setor através dos Fundos de Investimento do Agronegócio, mais conhecidos como Fiagros.

No momento em que escrevemos este texto, em junho de 2023, há 32 fundos de investimento em cadeias agroindustriais disponíveis na B3.

Categoria criada no Brasil no ano de 2021, começou a ser negociada no país em outubro do mesmo ano. Com uma lógica de funcionamento semelhante à dos Fundos Imobiliários (FIIs), são fundos voltados para o financiamento privado das cadeias produtivas agroindustriais.

Assim, o Fiagro pode investir em uma variedade de ativos, como:

      • Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs); 
      • Imóveis rurais; 
      • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) lastreados em direitos creditórios de imóveis rurais; 
      • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA); 
      • Cotas de FIIs, 
      • Fiagros e FIDCs que invistam nos ativos passíveis de aquisição pelos Fiagro-Imobiliário.

 

Empréstimos para o setor agrícola

 

Você sabia que também pode emprestar dinheiro para empresas do setor com isenção de imposto de renda?

Através das LCAs, Letra do Crédito do Agronegócio, bancos fazem uma captação de recursos destinada a empreendimentos do setor do agronegócio. 

Um ponto importante para ter atenção é com relação ao prazo de resgate. Geralmente, o investimento nesses títulos requer prazos maiores de aplicação até o resgate. Por isso, não são consideradas opções adequadas para investir uma reserva de emergência, que a pessoa pode precisar a qualquer momento.

 

Riscos e garantias

 

Quem investe em ações e em fundos de empresas do setor agro pode colher belos frutos financeiros em termos de valorização de seus investimentos, mas também está sujeito aos riscos inerentes do setor, como risco de mercado, de flutuações de preço, diminuição de liquidez, perda de reputação da companhia ou do fundo, entre outros.

Por este motivo, avalie se a garantia de  cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) não possa ser um fator importante para a sua tomada de decisão, visto que ela cobre as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) em caso de incapacidade de pagamento, ou calote da entidade que recebeu o crédito.

 

Impostos

 

Quem investe em ações do setor agro é tributado da seguinte maneira:

    • Venda de ações com lucro: tributação de 15% sobre o lucro (operações comuns – que não são iniciadas e terminadas no mesmo dia, como o day trade).
        • Exemplo: R$ 20.000 investidos em uma empresa, que se valorizou e agora vale R$ 22.000.
        • A tributação vai ocorrer apenas sobre esses R$ 2000 de lucro.
        • Portanto, 15% de R$ 2000 são R$ 300.
    • No entanto, nas operações comuns, há isenção na cobrança de imposto para vendas, no mês, abaixo de R$ 20.000.
        • Dessa forma, no exemplo acima, se a pessoa vender apenas R$ 20.000 e deixar R$ 2.000 para vender no mês seguinte, não precisará pagar imposto sobre este lucro.

 

Importante 

 

Essa isenção é direcionada apenas para operações comuns (também chamadas de swing trade, aquelas que são iniciadas em um dia e finalizadas em outro dia).

Já as operações que se iniciam e se encerram no mesmo dia (também chamadas de day trade), não há isenção de imposto, e a alíquota cobrada é de 20%.

  • Quem investe em LCAs ou recebe dividendos dessas empresas não é tributado, mas ao receber JCP (Juros sobre o Capital Próprio, a tributação será de 15% sobre o valor do provento, retida diretamente na fonte).

Por João Victorino

João Victorino é administrador de empresas e especialista em finanças pessoais. Formado em Administração de Empresas e com MBA pela FIA - USP. Executivo em empresas multinacionais nas áreas de desenvolvimento de negócios, marketing e estratégia. Possui ampla experiência no empreendedorismo e hoje divide esses aprendizados. Para isso, o especialista criou e lidera o canal A hora do dinheiro , com conteúdo gratuito e uma linguagem simples, objetiva e inclusiva.

Você também pode se interessar:

367 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *