Search
A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

Série: a economia começa dentro de casa (conta de energia)

Sumário

6 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...

 

Tuta Tamafilm – Shutterstock

 

ResumoO valor da conta de energia elétrica pode representar uma parcela significativa dos gastos totais das residências brasileiras. Você já parou para pensar nesse consumo e como ele pode ser reduzido consideravelmente? Com pequenas ações cotidianas dá para gastar menos energia. Por isso trouxemos algumas dicas para colocar isso em prática!

 

Economizar nem sempre é uma tarefa fácil. Para aquelas pessoas que sempre chegam ao final do mês no vermelho, então, parece quase impossível. Por isso pensamos na série de conteúdo “A economia começa dentro de casa”, que traz dicas simples, práticas e funcionais, para diminuir os gastos nas contas que já são prioridade no nosso dia a dia: energia, água, gás, IPTU e alimentação. Com um pouco de informação e consciência, a gente consegue controlar melhor o consumo e economizar nas contas da casa. Isso é bom pro nosso bolso e é bom pro planeta!

 

O valor da Energia Elétrica

 

Os valores na conta de energia elétrica podem representar parcelas expressivas nos gastos totais das residências brasileiras. De acordo com a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), que estuda os dados sobre o consumo de energia elétrica, a média de consumo residencial do Brasil foi de 162 kWh/mês em 2019, isso equivale a um valor de mais ou menos R$ 140,00. Mas você já parou para pensar nesse consumo e como esse gasto pode ser reduzido consideravelmente? Com pequenas ações cotidianas dá para gastar menos energia. Por isso trouxemos algumas dicas para colocar isso em prática!

Matthew Henry – unsplash

 

Conhecendo o seu consumo

 

O primeiro passo para economizar na conta de energia é entender como acontece o consumo na sua casa, e isso requer um estudo sobre tudo o que envolve isso: Quantos eletrodomésticos e eletroeletrônicos você tem em casa? Quais deles gastam mais energia? Quantos banhos são tomados por dia? Qual a média de tempo de cada banho? Qual a média de kWh/mês consumida na sua residência?

Prestar atenção a essas questões já faz uma grande diferença, e você pode organizar uma planilha ou um documento para juntar todas essas informações e comparar os processos de diminuição desse consumo. Conseguindo olhar para isso de forma mais macro, fica mais fácil entender onde dá para economizar e o que está sendo gasto à toa.

Tem muitos eletroeletrônicos que ficam em stand by por muito tempo sem serem ligados? (DVD, video game, som, home theater). Eles gastam 20% a mais de energia desse modo do que se fossem desligados da tomada, esse é um exemplo de gasto desnecessário que pode ser cortado facilmente.

 

O que gasta mais energia?

 

Conhecer de onde vêm os maiores gastos de energia também é uma dica valiosa para saber quais ações vão ter verdadeiro impacto na economia final da conta de luz. Os aparelhos domésticos que mais consomem energia são ar-condicionado, chuveiro elétrico e geladeira, mas também é necessário ficar de olho no micro-ondas, secador de cabelo, videogames…

Quanto maior a potência do aparelho, mais energia ele consome, e por isso é importante o primeiro passo que trouxemos aqui em cima: de mapear o consumo da sua casa para saber especificamente de onde vem os maiores gastos. Por exemplo, você pode ter uma airfryer ou uma panela elétrica que são muito utilizados no seu dia a dia e, sem que você perceba, elas podem ser responsáveis por grande parte do seu consumo. Esse fator nos leva para a próxima dica:

 

Entendendo o consumo dos aparelhos domésticos

 

O que determina se o aparelho gasta ou não muita energia é a sua potência, e essa potência é medida em Watts (W). Basta olhar na caixa de qualquer eletrônico e ver um número seguido de W. Essa é sua potência. Para termos uma noção, veja a lista abaixo da média de potência de alguns aparelhos domésticos:

Aparelho Média de potência (W)
Chuveiro elétrico 5500 W
Micro-ondas 1000 W
Secador de cabelo 1000 W
Aspirador de pó 600 W
Ferro elétrico 1000 W
Liquidificador 200 W
Secador de roupas 3500 W
Máquina de lavar roupa 1000 W
Cafeteira elétrica 600 W
Geladeira simples 250 W
Geladeira duplex 500 W

Então, quanto maior sua potência e maior o tempo de uso, maior será o gasto, e dá para calcular esse valor em Reais. Veja o exemplo:

Vamos calcular quanto vale em Reais um banho de 10 minutos, levando em consideração a média de 5500W de potência de um chuveiro elétrico. O cálculo é feito da seguinte forma:

  • Consumo = Potência x Tempo (horas)
  • Consumo = 5500W x 0,16 horas
  • Consumo = 880 Wh

Agora precisamos transformar a quantidade de Watts por hora (Wh) em quilowatts por hora (kWh) que é a medida da energia elétrica informada na sua conta de luz. Para isso basta dividirmos o número que temos em Wh por 1000:

  • Consumo de kWh = 880/1000
  • Consumo de kWh = 0,88 kWh

Considerando uma tarifa média de R$ 0,70 do valor de 1 kWh, é só multiplicar a quantidade que temos como resultado 0,88 por R$ 0,70 = R$ 0,61. Isso quer dizer que, nesse caso, um banho de 10 minutos sairia por 61 centavos. Se você mora com outras pessoas e quer saber o valor mensal dos banhos basta multiplicar esse valor pelo número de pessoas e por 30 (número médio de dias no mês). Vamos ver um exemplo com uma família com quatro pessoas:

  • Valor de um banho de 10 minutos = R$ 0,61 x 4 (número de banhos por dia) = R$ 2,44
    Valor mensal = R$ 2,44 x 30 = R$73,20

Mas lembre-se de que, para fazer o cálculo para a sua situação, você precisa considerar a tarifa cobrada pela empresa de energia da sua região.

Algumas empresas de energia também disponibilizam ferramentas em seus sites para fazer esse cálculo de forma facilitada. A Enel, por exemplo, tem uma plataforma bem interessante para simular o consumo de cada aparelho, veja aqui.

Tanit Juno – Shutterstock

Investindo em aparelhos novos

 

Aparelhos antigos gastam mais energia. Isso acontece porque, com o tempo, foram surgindo novas tecnologias de eficiência energética e regulamentações que exigem isso, fazendo com que os aparelhos ficassem cada vez mais econômicos. Uma pesquisa da Proteste aponta que a troca de um ar-condicionado e de uma geladeira por aparelhos mais modernos pode diminuir em até 67% o valor da conta de luz de uma residência. Isso significa que a troca de aparelhos domésticos é uma forma de investimento que pode fazer uma grande diferença no seu bolso a longo prazo.

Isso também funciona para a compra de qualquer aparelho. Fique sempre atento e dê preferência para aqueles que são mais econômicos e tenham uma eficiência energética maior. Hoje, os aparelhos mais econômicos vêm com o Selo Procel de Economia Energética, o que facilita muito na hora de saber as informações de consumo do aparelho, veja abaixo o selo e o que significa cada informação:

Outra dica para a diminuição do consumo dos seus aparelhos é utilizar suas funções de forma correta, como, por exemplo, aumentar a temperatura da geladeira no inverno e colocar o chuveiro na opção verão nos dias mais quentes.

Fonte: Procel

Trocando as lâmpadas

 

A evolução dos tipos de lâmpadas mostra de forma visível como é possível criar produtos cada vez mais sustentáveis e econômicos. As que temos disponíveis no mercado e são mais utilizadas são as incandescentes, halógenas, fluorescentes e as de LED, veja na tabela a seguir as informações de cada uma:

Tipo de lâmpada Potência Tempo de vida útil Economia de energia Preço
Incandescente 60W 1000h 0% R$5,00
Halógena 42W 1500h 30% R$5,00
Fluorescente 15W 6000h 75% R$10,00
LED 10W 15000h 83% R$10,00

A economia obtida com a troca de lâmpadas é, sem dúvida, uma das mais expressivas. A diferença entre o consumo das lâmpadas incandescentes e as de LED é muita, tanto para o valor da conta de luz no final do mês, quanto para o valor gasto a longo prazo em lâmpadas, além de contribuir para o meio ambiente. As lâmpadas de LED, além de gastarem muito menos energia e terem uma vida útil bem maior, 98% de seus materiais podem ser reciclados, representando um impacto baixíssimo ao meio ambiente.

Para termos uma noção mais prática, em 2016, o Inmetro publicou uma pesquisa concluindo que, levando em consideração uma casa de 2 quartos com 8 lâmpadas, a troca delas de incandescentes para as de LED pode representar uma economia de até R$ 3.151,32 ao longo de 5 anos.

 

Tarifas sociais

 

As tarifas sociais são descontos na conta de luz para famílias de baixa renda inscritas no CadÚnico, saiba mais sobre os descontos e outras informações neste texto.

Gostou das dicas? Veja os outros textos da série “A economia começa dentro de casa para aprender a diminuir o consumo nas outras contas também. Se ficou alguma dúvida comenta aqui embaixo, vamos ter o prazer de te responder!

 

Fontes

 

 

880 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *