A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

Quem não gosta de ouro? Veja como investir no metal

Sumário

6 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...
Dreamstime - Kyoungyl Jeon

Resumo– Existem diferentes formas de investir em ouro. Veja quais são e os devidos cuidados na hora da compra.

 

No nosso planeta, existem os metais, e existe o ouro – ele é reserva de valor, é sinônimo de beleza, força, poder e ainda tem uma infinidade de usos práticos.

E você, como investidor, pode fazer parte disso? Claro !!! Ahoradodinheiro te ajuda!

 

Porto seguro contra crises?

 

Em momentos de incertezas e crises econômicas, o ouro continua a ser lembrado na economia e costuma ser um ativo muito buscado por investidores.  O ouro é amplamente reconhecido como uma forma segura de investir em tempos de incertezas.

Durante crises, quando os valores dos ativos estão instáveis e a inflação está alta, a procura pelo ouro aumenta. As pessoas o veem como uma forma de guardar valor e proteger suas riquezas contra a queda nos valores dos ativos reais e a inflação. 

Investir em ouro está se tornando menos burocrático, custoso e uma alternativa mais conhecida pelas pessoas. Isso explica por que muitos incluem o ouro em suas carteiras de investimento, já que ele tende a ter um desempenho quase sempre oposto ao das ações, por exemplo. 

Quando o mercado de ações está em baixa devido a uma situação instável, o valor do ouro normalmente aumenta. Ter os dois ativos na sua carteira ajuda a trazer mais estabilidade, já que as perdas em um podem ser compensadas pelos ganhos no outro. A isso que os investidores chamam de ativos descorrelacionados.

Neste material, você aprenderá os principais jeitos de investir em ouro, os benefícios disso para a sua carteira e como o valor do ouro tem mudado nas últimas décadas. Vamos começar essa exploração?

 

Veja outras vantagens de incluir investimentos em ouro na sua carteira

 

Benefícios de investir em ouro:

Reserva de valor confiável

Torna-se uma opção sólida para proteger seu patrimônio em tempos de crises financeiras.

Liquidez

O ouro é altamente líquido e amplamente aceito no mercado internacional.

Diversificação e segurança

Essa forma de investimento oferece a oportunidade de diversificar ainda mais sua carteira e adicionar um elemento de segurança.

Baixa correlação

O ouro tem uma correlação limitada com outros ativos de renda variável, como ações e fundos imobiliários.

Facilidade

Hoje em dia, não é mais necessário possuir ouro físico para investir no metal. É possível aproveitar seu potencial de valorização sem a necessidade de armazenar o ouro em casa ou em uma instituição bancária.

 

Histórico de valorização do metal

 

Abaixo, você verá o gráfico de histórico de preços do ouro desde 1970.

Cotação do ouro – histórico

Como é possível observar, seu preço sobe com mais força em momentos de crise financeira no mundo.

Por exemplo, em 1971, quando os EUA acabaram com o compromisso de converter dólares em ouro, o preço do metal subiu mais de 11 vezes até 1980 – uma alta de mais de 1.000%.

Outro momento digno de menção é o período que vai de 2000 até 2011, com duas crises: 

A crise da chamada “bolha das empresas.com” (empresas de serviços de internet), e a crise do mercado imobiliário estadunidense (também conhecida como “crise das hipotecas” ou do “subprime”).

Nesse intervalo, o ouro subiu mais de 700%, obtendo uma ótima valorização e garantindo proteção em momentos de incerteza.

 

Como investir em ouro na prática? 

 

Como realizar investimentos em ouro no Brasil através da Bolsa de Valores?

Para diversificar sua carteira com ativos relacionados ao ouro, os investidores brasileiros têm oportunidades amplas de proteger seu patrimônio sem a obrigatoriedade de enviar fundos para o exterior. 

Em outras palavras, é possível realizar todas as operações na B3 (Bolsa de Valores do Brasil) por meio de corretoras nacionais.

Entre as vantagens dos produtos a seguir, você perceberá benefícios em termos de facilidade, acessibilidade, taxas administrativas baixas e a conveniência de diversificação.

É importante mencionar que os exemplos subsequentes não representam recomendações de compra, nem necessariamente refletem a opinião da equipe do ahoradodinheiro.

Existem algumas formas práticas de investir em ouro:

Acompanhe nosso canal no youtube

Compra de ouro físico:

 

Barras de ouro: Você pode comprar barras de ouro de diferentes tamanhos e pesos, geralmente de distribuidoras ou instituições financeiras especializadas autorizadas pelo Banco Central e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). 

Neste instante, pode estar surgindo uma dúvida em sua mente: e quanto às compras e vendas de ouro nas ruas, frequentemente realizadas nos centros urbanos?

Adquirir o metal nessas áreas apresenta um risco considerável. Geralmente, esses locais não oferecem a garantia de autenticidade, resultando na ausência de evidências que confirmem a qualidade genuína do ouro, além de ser ilegal.

Além disso, você precisa se cadastrar e obter autorização para possuir o ouro físico.  Você também deve escolher um banco onde o ouro será armazenado, embora a opção de guardar em casa seja possível. 

No entanto, é importante perceber que essa não é a alternativa mais segura, certo? Isso porque quem compra ouro físico e o mantém em casa enfrenta riscos maiores, como o roubo do seu patrimônio. 

Além disso, vender o ouro fisicamente pode ser mais complicado.

*Observação importante: Certifique-se de adquirir ouro genuíno e verifique a autenticidade da origem do metal (veja mais informações no tópico: cuidados com mercados paralelos).

 

ETFs e BDRs de ouro

 

ETFs (Fundos de Índice) de ouro são fundos de investimento negociados em bolsa que representam a propriedade fracionada de ouro físico. 

Eles são uma forma prática de investir em ouro sem possuir o metal fisicamente. Exemplos incluem o SPDR Gold Trust (GLD) e o iShares Gold Trust (IAU).

No Brasil, temos o GOLD11 ou o BIAU39, que buscam replicar o índice do ETF IAU.

 

Contratos Futuros de Ouro

 

Negociados em bolsas de commodities, os contratos futuros de ouro permitem que você compre ou venda uma quantidade específica de ouro a um preço determinado em uma data futura. 

No entanto, essa é uma opção mais complexa e arriscada, mais adequada para investidores experientes.

 

Ações de Empresas de Mineração de Ouro

 

Investir em ações de empresas que exploram e produzem ouro é outra maneira de expor-se ao mercado de ouro. 

O valor dessas ações pode ser influenciado não apenas pelo preço do ouro, mas também por outros fatores relacionados às operações da empresa.

 

Contas em Bancos Especiais

 

Alguns bancos oferecem a opção de abrir contas que rastreiam o preço do ouro. Você não possui ouro físico, mas o valor da sua conta está vinculado ao preço do metal.

 

Plataformas Online

 

Existem plataformas online que permitem a compra e venda de ouro. Certifique-se de escolher uma plataforma confiável, regulamentada e sem histórico de violação às regras ambientais.

Antes de investir em ouro, é importante fazer sua própria pesquisa e entender as implicações fiscais, custos de transação e riscos associados a cada opção.

 

Outros riscos de investir em ouro

 

Se você está considerando investir em ouro, é crucial entender os riscos envolvidos. De maneira geral, o ouro compartilha riscos semelhantes aos encontrados em outras opções de investimento de renda variável, como ações. 

Em vista disso, uma das principais ameaças do investimento em ouro é a possível desvalorização do seu preço. Isso ocorre devido às flutuações do mercado financeiro. 

Portanto, em linhas gerais, a estratégia mais segura ao investir em ouro é focar na proteção da sua carteira a longo prazo.

 

Cuidados com mercados paralelos 

 

Atualmente, há grandes dificuldades em se garantir a procedência legal de grande parte do ouro extraído no Brasil, uma vez que órgãos de fiscalização responsáveis (Ministério Público Federal, do Banco Central, da Agência Nacional de Mineração, da Receita Federal) não conseguem dar conta de tamanho volume do metal retirado das terras. 

Dados do Instituto Escolhas aponta que, entre 2015 e 2020, das 229 toneladas de ouro comercializadas no Brasil, 50% vieram de garimpos ilegais.

Pensando nisso, a Universidade de São Paulo (USP), em conjunto com o Instituto Brasleiro de Mineração (IBRAM), estão criando uma ferramenta para a identificação da procedência do ouro brasileiro.

Chamada de Plataforma de Compra Responsável de Ouro (PCRO), o sistema – que atualmente está em fase de testes – deverá funcionar efetivamente dentro alguns meses, por meio da internet, em português e inglês.

Assim, a expectativa é que as autoridades de fiscalização exijam que os produtores do minério sejam obrigados a registrar nesta plataforma os dados sobre a região de extração do ouro e, assim, verificar a procedência legal do metal, se tem autorização ou não..

 

Fontes

 

Anbima – como investir

De onde vem o ouro da joalheria brasileira?

Plataforma de compra responsável de ouro

Agência Brasil

Por João Victorino

João Victorino é administrador de empresas e especialista em finanças pessoais. Formado em Administração de Empresas e com MBA pela FIA - USP. Executivo em empresas multinacionais nas áreas de desenvolvimento de negócios, marketing e estratégia. Possui ampla experiência no empreendedorismo e hoje divide esses aprendizados. Para isso, o especialista criou e lidera o canal A hora do dinheiro , com conteúdo gratuito e uma linguagem simples, objetiva e inclusiva.

Você também pode se interessar:

639 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *