A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

A inflação é um inimigo mortal

Sumário

4 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...
Maxx studio / shutterstock

 

Resumo: O que é inflação? Como ela influencia a economia do nosso país? De que forma as nossas emoções são impactadas quando ela está em alta? Quais são suas causas, e como nos proteger dela? Veja tudo isso hoje, aqui na hora do dinheiro.

 

O problema da inflação

 

Um dos principais problemas para a manutenção da saúde financeira das famílias é conviver com inflação alta e descontrolada. Essa situação acaba sendo a mesma para o país todo, pois um país é tão apenas a soma de todas as famílias e pessoas que vivem em uma região geográfica.

Em nosso dia a dia, é muito fácil perceber o aumento dos preços dos produtos e serviços que consumimos. Basta ir ao supermercado, à vendinha, à feira, e vemos o aumento dos preços imediatamente.

Nos serviços, essa lógica é a mesma. Você vai ao salão de cabeleireiro, por exemplo, e o preço do corte e da escova mostram a cara da inflação.

 

Definição

 

Inflação é a perda do poder de compra do nosso dinheiro. Com o mesmo valor, hoje, você adquire quantidades menores (ou não adquire) os mesmos produtos que você conseguia antes.

Nossos pais e avós tinham um nome para isso – a carestia. Lembro-me de minha avó reclamando da carestia que estava insuportável. É uma percepção generalizada de que tudo – ou quase tudo – está mais caro do que antes.

Essa subida de preços em cadeia, que incapacita ou atrapalha as pessoas a conseguirem comprar os produtos e serviços que querem e precisam, é chamada de inflação. No cálculo dos famosos índices que medem a inflação no Brasil, como o IPCA e o IGP-M, alguns produtos têm influência maior – como os combustíveis e energia, pois afetam toda a cadeia de distribuição de produtos e serviços.

Produtos que sobem de preço isoladamente também contribuem para a inflação, mas é o aumento de grupos de produtos importantes para os cidadãos, em conjunto, que produz subidas elevadas e descontrole de preços que fazem doer o nosso bolso.

 

Impactos emocionais nas pessoas

 

Isso causa uma sensação muito desconfortável de empobrecimento nas pessoas. A sensação dos pais e mães de família que enfrentam a situação de ter que escolher comprar coisas mais baratas, produtos de qualidade inferior ou simplesmente deixar de comprar, tem um impacto emocional negativo muito forte.

Gera vergonha nas pessoas explicar isso aos filhos. A sensação de culpa, apesar de totalmente injusta, surge.

Racionalmente, as pessoas não deveriam ter esse sentimento, já que não temos capacidade de influenciar nos preços da economia como um todo (pelo menos, não individualmente), porém somos apenas parcialmente racionais. Muitos comportamentos nossos são de baixa racionalidade.

 

Impactos na economia do país

 

Uma alternativa, a fim de se proteger dessas situações, é buscar uma segunda renda para aumentar nossa proteção. No entanto, sabemos que é difícil. Para a grande parte da população, manter uma renda estável já é uma grande conquista.

Esse é o primeiro grande motivo pelo qual os governos lutam contra a inflação. Outro motivo, também muito importante, é o fato que a inflação desorganiza a economia como um todo e se torna retro-alimentadora.

Isso quer dizer que, no momento em que os agentes (termo da economia para definir os participantes – comércio, indústria, prestadores de serviço, governos, etc) realizam um aumento de preço nos seus produtos e serviços, podem não ser exatos no repasse de seus próprios custos e aumentar mais do que deveriam.

Isso pode gerar uma sequência de aumentos, uns atrás do outros, buscando cada um se proteger da inflação já existente na economia. Você vê que isso pode se transformar numa sequência difícil de segurar e, portanto, se retroalimentando (para quem é fã de física, pode ser interessante saber que este fenômeno é curiosamente chamado de inflação inercial). A memória do preço original, a essa altura, já se perdeu.

 

Causas da inflação

 

Várias coisas podem causar a inflação, mas uma das mais conhecidas é uma procura maior por produtos que têm uma oferta menor que essa demanda. A 1ª Lei da economia – Lei da oferta e demanda – entra em ação e gera inflação em cadeia, espalhando-se na economia toda. Como exemplo, podemos imaginar que só existe um produtor de maçãs na região, e agora as maçãs estão sendo mais procuradas por algum motivo… mais pessoas querem comprar maçãs do que o produtor consegue cultivar… o preço sobe. Isso é Inflação.

Outra causa da inflação tem a ver com a desvalorização de uma moeda local (em relação ao dólar, principalmente). Esse fenômeno pode ocorrer com a retirada de recursos investidos no país – quando investidores não sentem confiança para continuar fazendo negócios na região -, ou quando o país entra em déficits contínuos e preocupantes na balança comercial (importando mais que exportando, sem perspectiva de melhora).

Por último, quando os Bancos Centrais dos países deixam a taxa de juros de suas economias em um nível muito baixo, grosso modo, as pessoas e os agentes apresentam a tendência de retirar parte de seu patrimônio que estava guardado (uma vez que não rende, ou rende muito pouco), e passam a investir esse dinheiro na economia real, incentivando o consumo e a criação de empregos, podendo gerar, assim, um superaquecimento em alguns setores.

 

Como se proteger da inflação?

 

Os governos e agentes precisam estar sempre atentos e evitar esse desarranjo no sistema. Normalmente, quem mais sofre são os mais pobres, que não possuem sistemas de proteção para essa situação. Muitos já vivem no limite da subsistência.

Em relação a você, procure ter sempre sua reserva de emergência pronta, protegida da inflação (não deixando seu suado dinheiro na conta corrente) e, por fim, busque alguma forma de aumentar a renda na medida do possível.

 

Veja também

Qual foi a inflação da Ceia de Natal em 2022?

 

496 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *