Search
A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

A pobreza e a mente pobre

Sumário

2 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...

 

radachynskyi serhil / shutterstock

 

Resumo: Você sabia que estudos recentes mostraram a relação entre pobreza extrema e dificuldades de raciocínio? Esta vulnerabilidade não permite que as populações carentes consigam sair deste círculo vicioso, uma vez que as preocupações relativas às necessidades de sobrevivência se sobrepõem à capacidade de autocontrole, que é um fator essencial para tomarmos boas decisões. Veja aqui mais detalhes sobre este fenômeno, e o que fazer para superarmos esta mazela.

 

Novas descobertas

 

Pesquisas recentes dão conta de que a pobreza extrema conduz a grandes dificuldades de raciocínio, que favorecem a manutenção do estado de vulnerabilidade.

De maneira simples, os estudos explicam que as preocupações relacionadas à pobreza (como resolver problemas de falta de recursos de sobrevivência) esgotam as reservas de energia na mente necessárias para buscar uma saída da pobreza.

Esse processo acaba por atrasar, prejudicar e até impedir a saída do estado atual de vida.

Um exemplo de estudo que comprovaria essa tese foi feito com agricultores pobres no qual se observou uma mudança na capacidade cognitiva conforme o momento que a safra acontecia ou não.

Estes agricultores foram expostos a testes de capacidade cognitiva antes e depois das safras. Os resultados mostraram um aumento da capacidade de raciocínio após a colheita das safras e dificuldades no período pré-safra.

O stress decorrente da incertezas de resultado da safra representa um desafio a mais na capacidade de raciocinar com mais qualidade para esses trabalhadores.

 

Impactos na capacidade de autocontrole

 

Outro ponto é a redução do autocontrole por conta dessa situação. O autocontrole é a ferramenta que nos prepara para tomar decisões com mais qualidade e não por “impulso”, falando de maneira mais simplista.

O comportamento necessário que precisamos ter para tomar boas decisões advém do autocontrole.

Como as pessoas pobres sofrem uma redução em sua capacidade de autocontrole, imposta pela disputa de energia e atenção devida à necessidade de solução dos problemas financeiros imediatos, cria-se uma situação de retroalimentação do ciclo.

“Eu não tenho solução para os problemas financeiros imediatos, o que aumenta meu stress e impede meu autocontrole de funcionar de maneira adequada, o que cria uma barreira para achar a solução dos problemas financeiros, e o ciclo não se encerra.”

As possibilidades de solução se tornam limitadas.

Quase um labirinto sem saída.

Algumas soluções precisam ser discutidas e melhorias devem ser elaboradas.

 

Caminhos possíveis

 

As instituições do Estado, com certeza, poderiam trabalhar na criação de programas que atuem diretamente no ponto das maiores limitações e na solução de vulnerabilidades mais evidentes. Alimentação, moradia, segurança. É papel do Estado proteger os mais vulneráveis.

Outra solução que se discute é a comunidade buscar formas de se identificar as piores situações e procurar suporte para lançamento de alternativas mais diretas de apoio no dia-a-dia dessas pessoas.

A intervenção externa é extremamente necessária nesses casos, pois essas pessoas, sozinhas, não conseguem buscar saída – por limitações cognitivas -, mas podem ser ajudadas, colocando suas vidas novamente em condições de pensar e refletir minimamente com equilíbrio.

 

 

Fonte

 

The Poor’s Poor Mental Power. (Science.org)

922 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *