A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

Discalculia: o distúrbio numérico que poucos conhecem

Sumário

3 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...
Carla Francesca Castagno - Dreamstime

 

ResumoComo a dificuldade de aprender os numerais pode afetar a vida de adultos e crianças, principalmente na hora de administrar o dinheiro, chegar a tempo nos compromissos ou até fazer compras

 

O que é a discalculia?

Se você tem dificuldade com cálculos aritméticos, entender números e aprender como estes e suas funções funcionam, pode ser que seu problema esteja além de uma falta de habilidade com o tema. 

Existe um distúrbio, que foi identificado pelos pesquisadores, que impede a pessoa de ter um aprendizado normal sobre a matemática. Seu nome é Discalculia.

 

Histórico de seu descobrimento

João Victorino, especialista em finanças pessoais, explica que sua descoberta aconteceu em 1940 por um pesquisador da antiga Tchecoslováquia, chamado Ladislav Kosc, que o definiu como “uma desordem estrutural das habilidades matemáticas”.

O pesquisador descobriu que essa desordem deriva de uma falta de equilíbrio entre determinadas áreas do cérebro que controlam os cálculos matemáticos, e não por uma falta de habilidade cognitiva para o uso de números nos cálculos. 

É também muito utilizado o termo dislexia matemática. Determinadas pessoas que sofrem dano causado por acidente em certas áreas do cérebro passaram a ter muitas dificuldades com cálculos matemáticos. Isso foi o início da identificação desse distúrbio.

Hoje, existem pesquisas que conectam o surgimento de distúrbio ao desenvolvimento inadequado dessas áreas do cérebro, por problemas genéticos.

 

Como o distúrbio se manifesta?

Regularmente, identificamos esse problema em pessoas que não conseguem entender, lembrar ou manipular números (ou fatos numéricos).

Existe um não entendimento da construção dos cálculos. As pessoas podem ter atraso em fazer cálculos muito simples.

De qualquer modo, a matéria ainda é muito nova e os marcadores principais ainda estão em estudo.

Pesquisas norte-americanas indicam que até 7% das crianças no ensino fundamental podem apresentar discalculia.

Também existem estudos que associam o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – a um aparecimento maior de discalculia.

 

Impactos na vida cotidiana

Nosso dia-a-dia é feito de números e podemos imaginar como isso pode dificultar a vida de uma pessoa. Problemas para fazer compras, administrar dinheiro, chegar a tempo nos compromissos e outras situações que tendem a ser afetadas.

Identificamos muitas crianças que ainda contam nos dedos das mãos, mesmo muito tempo após o período em que elas naturalmente abandonam o uso dessa ferramenta. Têm dificuldades para perceber rapidamente que o número 9 é maior que o número 6, por exemplo. 

O divertimento predileto da garotada hoje em dia, como sabemos, são os jogos digitais, que também são afetados pela discalculia, apresentando dificuldade para as contagens simples que os jogos exigem.

A falta de educação financeira potencializa essa situação. O especialista explica, ainda, que o desafio de cuidar das finanças pessoais é por si só muito complexo.

“Não temos uma cultura de ensinar sobre isso nas escolas e nem nas famílias, haja vista a quantidade de pessoas endividadas no nosso país.”

Imagine, então, para quem tem o distúrbio da discalculia como que se torna a qualidade de vida financeira! Isso é muito impactante.

Precisamos estudar mais sobre o tema e criar alternativas de apoio e tratamento que apoiem essas pessoas” explica o especialista.

 

Tratamentos

Existem alguns tratamentos para a discalculia, baseados na especialização dos métodos de ensino, ou na prática das habilidades matemáticas de maneira muito mais intensa que a média.

“Alguns especialistas ainda estabelecem protocolos de tratamentos específicos, que podem utilizar ritmo e música, desenhos junto aos números e o foco no treino e não necessariamente no resultado final”, comenta o João.

Outras sugestões 

  • Usar ritmo e musica para entender matemática e passos;
  • Desenhar imagens junto com números;
  • Foco no treino, não necessariamente no resultado

Se você desconfia que seu filho tem dificuldades anormais com números, recomendamos levá-lo a um psiquiatra infantil. Principalmente se esses problemas ocorrem somente em matemática, e a criança vai bem em outras áreas.

Discalculia também pode ser identificada em adultos e tem características iguais às das crianças com o distúrbio.

Procure um médico, caso desconfie que sua dificuldade pode ser acima do normal.

 

Fonte

webmd

Por João Victorino

João Victorino é administrador de empresas e especialista em finanças pessoais. Formado em Administração de Empresas e com MBA pela FIA - USP. Executivo em empresas multinacionais nas áreas de desenvolvimento de negócios, marketing e estratégia. Possui ampla experiência no empreendedorismo e hoje divide esses aprendizados. Para isso, o especialista criou e lidera o canal A hora do dinheiro , com conteúdo gratuito e uma linguagem simples, objetiva e inclusiva.

Veja também

828 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *