A hora do dinheiro logo

Sumário

Tamanho da fonte-+=
Tamanho da fonte-+=

Se você quer ganhar dinheiro, não aplique na bolsa

Sumário

4 min para ler
Tamanho da fonte-+=
Getting your Trinity Audio player ready...

 

Kues / shutterstock

 

Resumo: Com o crescimento do número de investidores e de investidoras negociando ações de empresas no Brasil, termos como “investir na bolsa” e “qual a dica do dia?” acabam sendo vistos e ouvidos com uma frequência bem maior que a desejada. Pensando nisso, acreditando existir um caminho menos arriscado e mais saudável, escrevemos o porquê de ser importante você se preparar para investir em empresas, em projetos sólidos, e não em dicas quentes de desconhecidos.

 

Conversas frequentes

 

A conversa mais comum entre as pessoas que estão começando a investir, nesses últimos tempos (em que a quantidade de novos investidores em ações brasileiras aumentou bastante) é a seguinte:

– Onde você está investindo?

– Ah, eu estou investindo na Bolsa.

Aí vem a segunda pergunta: 

– E qual é a dica do dia? Qual é a dica boa que você tem para me dar?

Essa conversa já me deixa preocupado logo de cara!

Investir na Bolsa” é uma forma de falar que não reflete esse tipo de investimento. Me causa a impressão de que você está falando de um lugar determinado, como se fosse um investimento em bolsas de viagem…

 

O que realmente é investir na Bolsa?

 

Quando se investe na Bolsa de Valores, o que as pessoas estão fazendo nada mais é do que adquirir ações de empresas por meio de uma entidade, através de uma empresa que presta esse serviço. Organizar as transações de compra e venda de ações: isso é o que faz uma Bolsa de Valores.

Antigamente, essas transações eram realizadas num local físico determinado. Você se deslocava para lá e as compras e vendas de ações aconteciam ao vivo. Hoje, tudo é digital, e a empresa que realiza esse trabalho no Brasil se chama B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

Essa expressão pode mostrar que as pessoas não entendem muito bem o que estão fazendo com esse tipo de investimento. Investir em empresas é uma forma de definir isso melhor, faz muito mais sentido e eu explico o porquê: quem fala que está investindo na Bolsa, muitas vezes, está atrás de uma oportunidade rápida, em busca da queridinha da vez, de se sentir parte de uma “onda” (“está todo mundo comprando ações, não posso ficar fora dessa”).

Quem faz isso está arriscando perder dinheiro. Acreditamos que o investidor iniciante não deve andar por esse caminho.

 

Investimento em ações de empresas e seus projetos

 

Investir em ações de empresas tem a ver com acreditar em um produto, acreditar em um serviço que está sendo ofertado, acreditar no time de executivos e funcionários de uma empresa. Tem a ver também com entender, ou buscar entender, como está funcionando aquele segmento que a empresa atua, se as perspectivas são boas ou não. Investir em empresas é tornar-se sócio de um negócio, é uma coisa muito séria que fazemos com o nosso dinheiro e o dinheiro de nossa família. Precisa ter responsabilidade para tomar a decisão correta e com calma e saber o que está fazendo.

Tenho certeza de que você percebeu a enorme diferença entre as duas situações acima descritas. Uma está ligada ao modo de fazer, à qualidade de produtos e serviços, à estratégia e em querer participar desse tipo de projeto. Precisa gostar de negócios e, se você não gosta minimamente disso, não é para você. Não achamos que as pessoas precisam ficar super dedicadas a isso, estudar no fim de semana, ler, fazer conta de receita e despesas, acompanhar os balanços das empresas. Não precisa saber tudo agora, mas, se você quiser, também pretendemos te guiar nessa parte aqui em nossa plataforma.

Os maiores investidores do mundo, aqueles que ganharam bastante dinheiro e evitaram grandes perdas, falam que o melhor é investir em empresas que você já entende um pouco, que façam parte do seu dia-a-dia de alguma forma, que você já tenha trabalhado… Enfim, eles chamam de “Círculo de Competência”, ou seja, se você é médico, já conhece os laboratórios, as fabricantes de remédio, as farmácias, então tente aproveitar esse conhecimento para encontrar boas empresas que você já sabe que são boas empresas.

 

Vantagens de se adotar o Círculo de Competência

 

Você já sai na frente de muita gente quando você faz isso. Um engenheiro ou um vendedor de material para construção já sabem quais são as melhores marcas de produtos, aquelas que mais vendem, então pode ser uma boa oportunidade escolher essas empresas que já tem “familiaridade” e sabem que são boas, reconhecidas, tem uma boa rentabilidade, etc.

Outro famoso investidor, Peter Lynch, costumava estudar as empresas que vendiam ou produziam coisas que suas filhas compravam no shopping. Volta e meia chegava uma de suas filhas com uma sacola em casa e ele logo perguntava: que loja é essa? Essa loja é boa? E esse produto, quem fabrica? Você gosta da qualidade? E suas amigas gostam também? E aí, com essas informações, essas empresas se tornavam ideias de investimento, que o próprio consumidor (no caso, as filhas e amigas delas) já estavam dizendo eram de sucesso.

Depois, para confirmar isso, você pode acessar dados financeiros, que também vamos ajudar você a entender. Isso pode confirmar ou não sua visão. E aí você vai para o processo de compra, que também tem umas coisas para prestar atenção, que falaremos em outros textos.

 

A maneira vencedora de investir

 

Recomendamos fortemente que você evite usar o termo investir em Bolsa e passe a usar o termo investir em empresas, investir em ações de empresas, ou em negócios. É mais adequado para o que entendemos como a maneira vencedora de estar investindo nesse tipo de ativo, além de ajudar a não passar ideias erradas adiante.

Quando investimos em ações de uma empresa, num projeto, temos um compromisso de médio e longo prazo com esse negócio, é algo que nós sabemos que vai bem e acreditamos que se tornará melhor ainda no futuro.

É nisso que recomendamos que você pense quando você se tornar um investidor em ações de uma empresa, quando você está realmente acreditando naquele negócio, e não só num número ou um nome que alguém falou para você que ia “bombar”.

Pense sempre por você mesmo. Aí você faz seu investimento e deixa lá, não fique olhando a cotação todos os dias.

No longo prazo, se as empresas forem boas mesmo, você será recompensado com uma bela valorização. Porque empresas boas sempre se valorizam ao longo do tempo, passam a valer mais, a ter mais fábricas, mais lojas, mais produtos e mais lucros. Que serão divididos com você!

 

611 Visualizações
0Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *